A Gruta do Lou

Alegria


O apóstolo Paulo, aquele rebelde calvinista, ensinou que a alegria é parte do pacote do Espírito. Muito antes do meu sim, (A Cristo e não o da Dedé) a alegria era parte da minha vida. Vai ver o Calvino tinha razão e eu já estava predestinado no ventre de minha mãe. Só não entendo porque os anteriores dezenove (sei lá quantos) abortos que ela fez, não tenham sido predestinados como eu. Enfim, minhas palhaçadas tornaram-se conhecidas desde que vim a esse mundinho de lascar.

Não sou palhaço por magoa ou rancor (longe de mim tal atitude). Minhas palhaçadas sempre vieram do lado alegre do meu interior. Nunca usei as mazelas dos outros para praticar minha maior vocação. Minha graça está associada às minhas trapalhadas, à minha beleza e a um irresistível jeito de ver o lado engraçado dessa vida miserável.

Nos tempos de escola, desde os primeiros anos, fiz a alegria da criançada e dos meus professores. Evidentemente fui muito bem recompensado com castigos, humilhações e reprovações (um negócio que havia no meu tempo quando nosso desempenho escolar não contentava os maiorais).

Já na faculdade (na PUC, no básico de humanas) minha professora de pscicologia me mandou sair da sala porque eu entrara atrasado e não a cumprimentara. Mas meu andar de gatinho fez a classe vir a baixo. Ela não perdeu tempo em praticar sua ciência.

Na Igreja, o pessoal procurava guardar boa distância de mim. Não ficava bem rir, o tempo todo, na Casa do Senhor. Na Faculdade Teológica, nosso professor de Educação Cristã (um gringo imperialista) me pediu para deixar sua matéria, pois, eu estava impedindo o desenrolar de seu planejamento com minhas perguntas e observações que provocavam os outros alunos a risadas sem fim.

Continuei brincando alegremente vida a fora e continuo até agora. Só precisei fazer uma pequena adaptação. Aprendi a brincar com minhas falácias, com meus sofrimentos, com os acontecimentos fortuitos e infelizes que me sobrevieram.

Por meu sucesso, descobri quanto amor, alegria, paz ( e os outros) estão distantes de luta, seriedade, persistência, esforço, obstinação (e os outros) presentes na vida daqueles que não sofrem como eu.

Infelizmente não tenho como mudar o espírito que me sobreveio. Da próxima vez (se acontecer) pensarei em escolher outro, mais adequado à vida do homem de nosso planeta.

6 thoughts on “Alegria

  1. Não deixes de ter essa alegira dentro de ti.. um palhaceiro! Quem sabe rir de si mesmo, é inteligente e sábio!
    DTA Lou!

  2. Pôxa Lou,queria ser assim…sabe, sou tão deprimida, e acho que já nasci assim, me lembro que era triste desde muito pequenininha. Verdade que minha situação familiar contribuiu muito para engrandecer minha tristeza (pai alcóolatra, cruel, terror de todo tipo…) Mas eu gostaria de mudar. Meu pai parou de beber faz uns cinco anos, minha mãe diz que foi tarde demais, eu acho que foi só tarde. Verdade que estamos todos velhos e cansados, porém vivos. E juntos. Já fiz muita terapia, estou muito melhor do que era, acredite. Mas ainda assim eu queria ser um pouquinho menos deprimida.

  3. Bete

    Agora era a hora de revelar-lhe a fórmula secreta contra a depressão, guardada há séculos na Arca do Tesouro.
    Infelizmente, a Arca sumiu e não temos notícias concretas do paradeiro dela. Parece estar sendo movimentada entre Iraque, Koréia do Norte, Irã e Faixa de Gaza. Esteve recentemente no Líbano, mas, já tiraram de lá.
    Então, revelarei um segredo para você. Não faço a menor idéia do que dizer-lhe.
    Gostaria de estar estar a seu lado (sou pai de uma moça de vinte e sete anos) e abraçá-la, paternalmente, bem apertado e depois ficar a seu lado, em silêncio, até você dar um largo e espetacular sorriso.
    (essa receita o Paulo Brabo me deu há uma semana atrás, quando eu estava deprimido).
    Ver o lado alegre da vida em todas as situações ajuda. Mas, como você disse, parece que é algum dom de nascença e nem todos conseguem. Para gente como nós é que servem as grutas.
    Lembra do filme Náufrago? Quando é que o Tom Hanks ia para a gruta? Não era nos momentos de tempestade? Então, é isso. Deus gosta de consolar gente engrutada. Que Ele te abençoe muitíssimo.

  4. Brigada Lou. E fico também muito grata ao Pai, por ter me sentido tão a vontade dentro de sua casa, a ponto de me abrir, creia, não costumo fazer isso não. Até porque as pessoas não entendem, e acabam falando sempre que a culpa é nossa, como se fôssemos ilhas, isolados no meio do mar. Somos frutos do meio, né não? Mas cê pode acreditar, eu já ouvi no meio cristão, gente falando que cristão não pode ficar deprê. Precisamos tirar Jeremias da bíblia! Ora, pois!

  5. Bete

    A casa é nossa. A Gruta nasceu para pessoas como nós. Lembra do exército de Davi, eram pessoas iguais com problemas diversos em uma gruta. Elias esteve na Gruta e outros personagens bíblicos, sem falar no Mestre, que nasceu em uma, simbolizando aquele que chegava para tomar sobre si as nossas dores. Nós trazemos nossos problemas à Gruta e o Pão da Vida os leva embora para crucificá-los.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *