A Gruta do Lou

A verdadeira mensagem

Por

Paulo Brabo

Estocado em Manuscritos

Então, no exato centro do redemoinho, Pedro levanta-se e faz algo belo e terrível e inteiramente prenhe de consequências: começa a falar.

Não sabemos porque é necessário que apenas um tome a palavra e ensaie um discurso quando todos já estavam “falando das grandezas de Deus”, mas a postura de Pedro (“pondo-se de pé e levantando a voz”, diante de uma multidão atenta e com as defesas baixas) passou a representar o modelo canônico de como Cristo deve ser efetivamente apresentado. O próprio Jesus não havia dito que mediante a concessão do Espírito os discípulos aprenderiam o ofício de “serem testemunhas”? Pelo que vemos aqui, “ser testemunha” nada mais é do que produzir um discurso – ou, como viria a ser chamado, um sermão – habilmente adequado à situação do momento. Todos que há um minuto falavam sinfonicamente, até mesmo os onze, são obrigados a calar para que a Voz seja ouvida em apenas um.

Um só pregador, uma só congregação, um só público de gente de fora carecendo de salvação: o Primeiro Momento do Espírito é também o arquétipo da Primeira Igreja.

Será essa uma interpretação justa deste momento e do que ele representa? De certa forma não temos a esta altura, depois de milênios dessa mesma leitura, como saber.

É claro que mesmo Jesus já havia discursado, e muitas vezes. Mas Jesus, dito grosseiramente, falava com mais parábolas e com menos esperança de angariar seguidores. Deve ser evidente também que o sermão de Pedro é mais misericordiosamente breve e mais contundente do que qualquer sermão dos nossos dias, mas talvez o que recebemos no livro de Atos seja uma versão estilizada, devidamente condensada – não apenas do que Pedro disse, mas do que aconteceu naquela ocasião.

Como o texto que chegou até nós exibe um grau indefinido de estilização, talvez o discurso centralizado de Pedro seja uma necessidade meramente narrativa; talvez seu conteúdo tenha sido transmitido cooperativamente, através de todos e a cada um. Mais importante será entender que, de certo modo, não faz diferença.

Como em todo o texto bíblico, de Gênesis a Apocalipse, a verdadeira mensagem e propósito deste momento não é nos ensinar como as coisas devem ser feitas, mas fornecer-nos um vislumbre do que representa que tenham acontecido como aconteceram. O livro de Atos é registro de terrível transformação, não de confortável permanência. Não é um Manual mas um Testemunho – e o livro inteiro é permeado pela tensão entre os que recusam-se a aprender a diferença e os que abraçam o impensável e o imponderável.

Importante aqui é que aparentemente Jesus havia sido calado pela cruz, definitivamente vencido pela vergonha da sua derrota, e não restava qualquer vestígio de vida na sua mensagem. O maluco havia sido silenciado e seus seguidores haviam demonstrado que não representavam ameaça; isto é, não estavam à altura dele.

Então há de repente um maluco – não, um bando de malucos – falando alto sobre a excelência da mensagem dele e sobre a grandeza encapsulada na sua vida e na sua morte. O discurso de Pedro é importante não porque nos ensine que devemos discursar, mas porque é a primeira vez desde a morte de Jesus em que alguém se levanta e fala em nome de Jesus.

É algo tremendamente ousado de se fazer e, veja, logo Pedro.

 

Clonado, sem autorização, na Bacia das Almas

Este documento faz parte da série

Rastros dos apóstolos

  1. Como perder Jesus de vista no livro de Atos
  2. Ascensão sem trégua das testemunhas
  3. A escassez seletiva: selecionar é interpretar
  4. O Jesus terreno e o Cristo extraterrestre
  5. Com as mulheres
  6. Como reconhecer, entre dois discípulos, um apóstolo
  7. A plenitude dos tempos
  8. A verdadeira mensagem

Atenção:

O encontro para uma conversa sobre Desenvolvimento (Relações Públicas e Captação de Recursos) Será na sede da ADVB – R. Treze de Maio, 1413 – Bela Vista – São Paulo – SP Dia 09 de dezembro a partir das 13:30 hs Fica perto da estação Brigadeiro do Metrô.
Presenças confirmadas:

Fábio Adiron, Andrezza Cadete Barletta, Volney Faustini, Majory Imai, Ozimar Pereira, Ana Camila Bertozzo Silva, Ludo, Bete P. da Silva, alguns outros, eu e você. Não deixe de confirmar, por E-mail.

112313_1559_AsDivinasGe2.jpg

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 thoughts on “A verdadeira mensagem

  1. Lou,como é que você esquece de convidar o amigo aqui, gosto dessa conversa sobre desenvolvimento…próxima vez instale um skype na reunião.
    Brincadeira meu amigo, passando para desejar um feliz dia de ações de graça(Isso acontece no Brasil? Aqui é uma grande festa, mesmo muitos americanos não sabendo o que agradecer.Vê se pode!

    Claro que você está convidado. Não sei se o pessoal de São Paulo pode providenciar equipamento para a conexão, quem sabe até um chat Ustream. Teremos uma reunião antes e farei a consulta. Qualquer novidade, te aviso. Obrigado, meu dia de ação de graças foi sem problemas, o que já é grande lucro. Aproveitei para agradecer por vocês, amigos blogueiros dos quais muito me orgulho.

Deixe uma resposta para São Pedro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.