A Gruta do Lou

A procura de um Pastor

A procura de um homem
A procura de um homem


Diógenes de Sínope foi exilado de sua cidade natal e se mudou para Atenas, onde teria se tornado um discípulo de Antístenes, antigo pupilo de Sócrates. Tornou-se um mendigo que habitava as ruas de Atenas, fazendo da pobreza extrema uma virtude; diz-se que teria vivido num grande barril, no lugar de uma casa, e perambulava pelas ruas carregando uma lamparina, durante o dia, alegando estar procurando por um homem honesto. Eventualmente se estabeleceu em Corinto, onde continuou a buscar o ideal cínico da autossuficiência: uma vida que fosse natural e não dependesse das luxúrias da civilização. Por acreditar que a virtude era melhor revelada na ação e não na teoria, sua vida consistiu duma campanha incansável para desbancar as instituições e valores sociais do que ele via como uma sociedade corrupta.

Segundo Jesus de Nazaré, o bom Pastor dá a vida por suas ovelhas. A hermenêutica mais comum a essa afirmação Cristica, refere-se a uma auto-profecia do filho mais velho de Deus, o herdeiro, prevendo a sua própria morte iminente. Pode até ser, se a teologia da morte expiatória de Cristo tiver algum fundamento, coisa que duvido. Mais simples e claro seria entender essas palavras por seu sentido literal, ou seja, bons pastores estariam dispostos a morrer pelos membros de suas igrejas.

Nesse ponto, me vejo como um Diógenes, guardadas as devidas proporções, estou à procura de um Pastor de verdade e não falo só dos evangélicos. Não seria capaz de me tornar um mendigo morador de ruas, carregando uma lanterna durante o dia sob a alegação de estar a procura do dito cujo. Também não sou capaz de enveredar por um ideal de autossuficiência, como também fez Thoreau. Se esse for seu caso, assista o filme Vida Selvagem (Into the Wild) de Sean Pean, que gosto muito. Não acredito que seja possível, hoje, viver uma vida 100% natural, que não dependesse das facilidades do atual estágio de nossa civilização.

Entretanto creio na antiquada tese da virtude, melhor revelada na ação e não na teoria, e mesmo sem ter a coragem de um Diógenes ou um Thoreau pretendo continuar empreendendo minha campanha medíocre, da qual não descansarei enquanto viver, e contribuir, mesmo que seja com o mínimo, para desbancar essa canalhada toda corrompida pelos cuidados desse mundo.

Quanto à minha busca, não achei nenhum Pastor, nos últimos quarenta anos, nem antes

112313_1559_AsDivinasGe2.jpg

Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

1 thought on “A procura de um Pastor

  1. Ah, e me antecipo informando que não sou e não serei candidato a pastor, político, psicólogo, professor, etc.. Nesta vida só almejo algum tipo de bem estar para minha família (um teto, alimento, roupas, essas coisas) e viver o resto de meus dias com um mínimo de dignidade, não precisando mentir a ninguém, nem mendigar o pão de cada dia, como tenho feito muitas vezes, por exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.