A Gruta do Lou

A marca do morro

cosagradaconsagração

Durante os anos de minha preparação ministerial (soa bem esse negócio) fui alçado à liderança da Congregação Batista em Morro Grande, filiada à Igreja Batista de Perdizes (cujo pastor, nessa época, era o Silas Molochenko) com direito a consagração pastoral (sem registro) e tudo. .

Assim que assumi, comecei a perceber a existência de uma doutrina peculiar ao morro, nada convencional e sem qualquer vínculo com a igreja mãe. O pessoal chamava o trem de “Consagração”. No princípio tentei descobrir do que se tratava através de perguntas simples. Não precisou muito tempo para perceber a inexistência de qualquer raciocínio elaborado e, muito menos, escrito. A melhor conclusão conseguida foi que “Consagração” seria a somatória de tudo aquilo que possivelmente Deus espera de um cristão, mas ninguém tem a menor ideia de como adquirir ou praticar e muito menos explicar.

Ao longo dos anos, constatei ainda que, embora com nomes diferentes, a marca do morro está em toda parte, pregações são realizadas, apologias pipocam em todos os níveis, dos púlpitos às TVs, dos livros aos blogs todo mundo defende a marca, mesmo sem fazer a menor ideia do que seja.

Não consigo deixar de pensar o quanto sou privilegiado. Outro dia a Ale honrou-me comparando-me ao House (personagem de uma série de TV da Universal, com ego imenso, ranzinza, esculhambado, mas charmoso e competente) e não tiro a razão dela. Veja só: tentaram me tirar de cena enviando-me ao Morro Grande (periferia violenta de São Paulo) e acabei protagonizando o surgimento de uma das mais difundidas doutrinas de nossa era. Que culpa tenho disso?

Uma coisa é certa, você precisa se consagrar mais para agradar a Deus. Nem pense em me perguntar o significado disso. Ore que Deus lhe mostrará. Se a vida não está como você gostaria, seja em qual área for, consagre-se meu chapa. Deus não acende velas para defuntos, tão pouco investe em rituais satânicos como a dança do consumo ou a música do aquecimento global. Negócio dele é assistir às viúvas pobres em suas misérias, aos órfãos e aos cativos em seu abandono desumano.

Não se iluda, viver com propósitos o levará direto para o inferno, a menos que seu propósito seja a consagração, a marca do morro. Naquele dia, só aqueles que tiverem a marca do morro entrarão na grande festa do Reino, mesmo sem ter a menor ideia do que isso signifique.

Capricornio PB

6 thoughts on “A marca do morro

  1. Ou mato ou morro! Pensei que você ia falar do Gólgota, pelo que aproveito para repetir o que já disse: há uma cruz no fim do túnel.

    Só um cara consagrado como eu para sair com uma dessas.

  2. O importante é que só os consagrados tem unção. E ai de quem tocar em um ungido! Num consagrado, nem se fala!!
    “Cruz no fim do túnel”, é mesmo ótima!
    Boa sexta-feira para os grutenses, essa gente consagrada!

  3. certo dia tive uma revelação: vi a maldita serpente traiçoeira com um iphone na mão e usando adidas; tinha também uma carteira mitty. mas depois deus entrou no jardim com um nike shox e me confessou que usava shampoo carolina herrera. e deu seu recado: “que importa, o reino de deus é espiritual. e os falsificados são idênticos!”.

    acordei, tomei banho e depois me consagrei. nunca mais fui o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *