A Gruta do Lou

A Lua Cresceu


Estou morando em Sorocaba há doze anos. Depois de um tempo após minha chegada, em certo inicio de noite enquanto passeávamos com nossa saudosa cadela pastor alemão, a Duda, de repente notamos a lua. Ela estava bem à nossa frente, no alto da avenida ainda sem pavimentação completa, enorme e parecia haver se aproximado da terra como nunca.

Em um primeiro momento, ideias ridículas vieram à minha mente, como a possibilidade da Lua vista em Sorocaba ser maior do que daquela que víamos em São Paulo. Claro que abandonamos essa explicação de pronto, mas o fato é que, desde então, a Lua cresceu e se aproximou, não importa onde estejamos. Os eclipses totais do Sol tornaram-se frequentes, coisa que não acontecia antigamente, muito frequentemente.

E o qual o significado disso? Prepare-se, pode ser algo surpreendente, mas não sou eu quem explicará. Passei boa parte do ultimo fim de semana assistindo a mais um vídeo do
David Icke – The Lion Sleeps No More. Foi publicadono excelente blog O Nariz Virtual tocado por meu filho Pedro e seus amigos Paulo e Wolf. Se eu fosse você não correria o risco de continuar vivendo sem dar uma chance ao David.

Foi surpreendente constatar quantas inquietações o David tem semelhantes às minhas. A Queda das torres do Word Trade Center, Sociedades Secretas (os Illuminati, Maçonaria, Opus Day, Rosa Cruz, etc.), Iraque (antiga Suméria); os reptilianos; a escola e todos os grandes filtros de nossa sociedade, inclusive a Internet, a ênfase em desenvolver o lado esquerdo do cérebro, enquanto evita-se o uso do lado direito (emoção X razão); o engodo do tal aquecimento global; o aumento de terremotos e maremotos (Tsunamis); e tantos outros acontecimentos aparentemente inexplicáveis. O que estaria por trás de tudo isso, de verdade?

Mas no que tange à Igreja dita cristã e suas teologias dogmáticas reside o meu maior interesse. Em trinta anos assisti a mais surpreendente derrocada de um dos grandes pilares sustentadores da sociedade. E o que mais me estarrece é a postura dos mais jovens embarcando nas mais incríveis falácias da paroquia (desculpe a redundância). Seres reptilianos invadiram a Casa de Deus para usá-la como instrumento para seus fins de domínio e escravização da raça humana. Desde que inseriram no texto bíblico a grande mentira: ” Bem aventurados os que não viram, mas creram”. João 20:29, a igreja deita e rola nadando de braçada nas águas das invencionices das matizes teológicas, todas heréticas, sem exceções. Todo o livro contendo o evangelho de João, há muito, tem estado sob suspeição, especialmente pelo pecado de distorção das palavras originais.

Jesus Cristo teria demonstrado com sobras sua confiança na consciência dos seres humanos. Ele chamou seus companheiros inúmeras vezes a olhar e decodificar com seus cérebros direitos. Usou sempre o recurso de fazê-los pensar e não acreditar na primeira imagem que lhes aparecesse na frente, valorizando os sentimentos.

Aqueles que buscam escravizar a humanidade para tê-la a seu serviço, seja para produzir-lhes riquezas, ou para dar-lhes prazeres de diversas formas, usam e abusam da máxima: “eles acreditam no que veem”, e fazem da propaganda a alma de seu negócio. A igreja, com esses mesmos fins nada amorosos, viu aí a grande oportunidade e juntando algumas frases de Jesus fora do contexto original, partiu para a prédica inescrupulosa da tal bem aventurança do crer sem ter visto. Claro que para isso era necessário estancar o perigo das profecias, das visões e sonhos, capazes de revelar a verdade, mesmo quando ela não pode ser vista.

Tudo bem, mas a Lua milhares de vezes maior do que era vista pouco tempo atrás, sem duvida, todos estão vendo. Só falta entender o que está acontecendo com ela e o David Icke tem uma excelente sugestão, a qual compartilho inteiramente.

Espero que creiam.


Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.