A Gruta do Lou

A Igreja emergirá como um mar sem fim

Mar Sem Fim
Mar Sem Fim

E ao imenso e possível oceano
Ensinam estas Quinas, que aqui vês,
Que o mar com fim será grego ou romano:
O mar sem fim é português;

Fernando Pessoa em mensagem, “Padrão” 13-09-1918

Enquanto muitos se deleitam em livros e palavras em livros densos e membros das muitas listas dos dez mais, caí em tentação e li, mais uma vez, “Mar Sem Fim” do brasileiro e paulistano Amyr Klink, trabalho onde ele narra sua volta ao mundo impecável, através da convergência Antártica. Muito mais do que interessar-me pelo feito náutico, as lições de uma vida auto equilibrada e independente, dentro da mais elevada sensibilidade e respeito à criação e seus imensos exemplos de belezas naturais são responsáveis pelas tantas lidas desse lindo relato. Certamente ainda estou a milhares de milhas de minha última leitura. Outras tentações insuportáveis virão e cairei nelas deliciosamente.

Caso tivesse à minha frente um nova classe de missões, sem dúvida, faria desse livro o meu guia de estudos missionários.Você não acreditará, mas ainda há muitos pensando missões como um trabalho determinado por um Deus manda chuva, incapaz de fazer ele mesmo, a determinado ser humano ou grupos religiosos, de preferência portadores de uma teologia adequada e aprovada por ele. Desde a primeira vez em que fui incumbido da tarefa de conduzir grupos de estudos em Missões, entendi a nossa tarefa como o estudo das pessoas envolvidas no trabalho missionário. Dessa forma, os meus alunos poderiam decidir se gostariam de participar da experiência ou não.

Quando o escocês insano Livingstone, desfez-se de suas riquezas e foi à África, certo de ser um enviado de Deus para pregar o Evangelho, e voltou eufórico narrando suas aventuras em solo africano, trazendo com ele a primeira carta geográfica daquele continente, que se tenha notícia, dezenas de novos missionários partiram para a terra do povo de pele negra em busca das mesmas aventuras experimentadas por esse missionário desparafusado.

Se Deus quiser pregar aos africanos ele ordenará e até as pedras clamarão. Deus não é um criador de heróis missionários. Geralmente, ele salva e liberta pessoas enviando-as como missionários. Que se saiba, ele enviou só um missionário com a missão de salvar os outros: seu filho Jesus.

Amyr me delicia com suas dicas missionárias como: Um homem precisa viajar para entender o que é seu e, um dia, plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Depois de viajar cinco meses, em volta da Terra, concluir: A Terra é mesmo redonda. Nada melhor do que voltar, para descobrir, abraçando sua esposa e filhas, que o mar da sua casa não tem mesmo fim.

Quando viajei com destino à Albânia, a bordo de um temível Tupolev de fabricação soviética, imaginando ter a missão de abrir aquele país ateísta (por constituição), na época, para a marcha do evangelho entre o povo albanês, não imaginava que Deus estivesse trabalhando para salvar o mais perdido de todos os seres da terra: eu mesmo. Andar aquele país de norte a sul e de leste a oeste, sob o risco de despencar daquelas montanhas rochosas ou ser preso e executado por proselitismo religioso, não foi nada se comparado ao sublime momento de minha volta, o melhor instante de minha vida, nos braços da Dedé com nossa filha (que nasceria dentro de quinze dias) em seu ventre, de novo enrolados em meu pescoço, pisar o chão de nossa casa e plantar as minhas próprias árvores, outra vez, para assistir a inebriante dança da natureza em ação.

O Amyr é um missionário, a meu ver. Ele não descobriu nada além de si mesmo e do verdadeiro valor de cada coisa criada por Deus. É um ótimo escritor inspirado em suas leituras, inspirando seus leitores a lerem, a começar da citação de Fernando Pessoa, enquanto narra brilhantemente seu feito mais do que necessário, mas não heróico.

Uma igreja emergente existirá quando as pessoas participantes forem mais missionárias e menos heroicas, andando por esse mundo para serem libertas, executando suas missões com suas próprias mãos, pois o ser humano só se liberta diante de Deus, da criação e de si mesmo para, um dia voltar experimentando o melhor momento de todos e declarar, Deus existe, a Terra é redonda e eu estou salvo.

121413_0141_Amoref2.jpg

11 thoughts on “A Igreja emergirá como um mar sem fim

  1. Lou, com o último parágrado parágrafo, tu definiste tudo aquilo que verdadeiramente Jesus ama na sua amada noiva.
    Esta afirmação é tudo o que é mais verdadeiro e importante.
    Simplesmente … tudo! 🙂

    Parece ser um constante de vida: meus últimos parágrafos costumam ser os melhores.

  2. Os dois últimos parágrafos são dos mais sãos que já li. A missão (impossível, se comparada a qualquer evangelização externa) é ver se conseguimos salvar a nós mesmos.

    Sim. Não há ganho algum se ganharmos o mundo e perdermos a nós mesmos. Deus tem mesmo cada uma, né?

  3. “Deus existe, a Terra é redonda, e eu estou salvo”… um dia farei esta afirmação, farei, sim! Mas, pobre de mim, ainda não.

    Mas você está a caminho, viajando e voltando. É por aí.

  4. “Deus existe, a terra é redonda, e eu estou salva”…Uau, que bom!! mas eu te digo, que cheguei aqui cheia de ataduras!!!
    Este texto teve as mãos do Todo Poderoso! Gosto da maneira como te expressas. Diagnosticada como: para ser o maior tenho mesmo que ser o menor! Segues a risca.
    Glórias a Deus! Desta maneira conseguiremos que Ele seja mesmo o maior, porque estamos diminuídos.
    Um grande abraco para ti e família!

    Na verdade, luto contra minha tendência à arrogância e a auto-exaltação. Miserável homem que sou, como diria o apóstolo. Obrigado, a família retribui honrada.

  5. Que belo, que comovente.

    Daria um roteiro pra um filme…e parece que posso ver. Os comentários acima entrariam no filme também. No finalzinho, quase na hora dos créditos.

    Nesse negócio de blog, é comum fundir texto e comentários. Não foram poucas as vezes em que comentários superaram os posts.

  6. Belo Post, caro Lou,

    inspirador.
    Não vejo a hora de constatar que esse mundo é redondo por enquanto ele é um quarto de lua, pra mim.
    Se Deus existe ou não… só Dawkins, Aquino e Pascal podem responder isso adequadamente e de forma lógica. Marinheiros e missionários sujeitos as intemperes dos oceanos serão sempre pessoas suspeitas.

    Sim, há em gente assim uma forte tendência em distorcer as coisas. Talvez, por isso, só cabe salvar, cada um, a si mesmo.

  7. E eu voltei. Voltei porque lembrei da oração de Vinicius de Moraes:

    “Aí pergunto a Deus, escute amigo: se foi pra desfazer,porque é que fez?”

    Ó,não sei explicar porque escrevi isso não…

    Essa é fácil. Por que na avaliação custo benefício, ainda assim, valia a pena. Uma vez assisti uma impecável pregação fundamentada no texto em que Deus e Abrão batem um papo sobre a validade de salvar Sodoma e Gomorra. O Tempo todo, o criador se mostra disposto a arriscar enquanto houver a chance de salvar, ao menos, um.

  8. “Um homem precisa viajar por si, por sua conta, com seus olhos e pés…”
    Realmente Amyr sabe o que é usar a própria bússulabússola.

    Me dei conta que não sei usar uma bússola. Melhor, não tenho uma, sequer. Pode?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *