A Gruta do Lou

A Ceia

santa_ceia

Anos atrás, a missionária Nordestina Dorcas de Barros veio à minha Igreja, como fazia todos os anos, para fazer uma série de pregações. Começou na quinta-feira à noite e encerrou, no domingo, com uma exposição, a seu juízo, de Êxodo 12.

“O animal escolhido será macho de um ano, sem defeito e pode ser cordeiro ou cabrito. …Naquela mesma noite comerão a carne assada no fogo, com ervas amargas e pão sem fermento. Não comam a carne crua, nem cozida em água, mas assada no fogo: cabeça, pernas e vísceras.”

Aquilo calou fundo em mim, para lá da tal linha divisória entre carne e espírito. O Espírito Santo tomou aquela boca, aquele corpo frágil desgastado por jejuns intensos e penúrias inimagináveis. Nunca mais me esqueci. A ênfase na necessidade de comer o cordeiro inteiro, sem deixar as partes mais duras e difíceis, portanto menos saborosas, a cabeça, as pernas e as vísceras. Nessa parte, ela nos fez ver, de forma magistral, o Cordeiro de Deus e, perplexo, entendi o quanto importava recebê-lo completamente, visceralmente, a ponto de pensarmos como ele e não apenas suas partes mais moles, seu amor, generosidade e alegria.

Nunca mais tomei uma ceia sem antes orar: Senhor dá-me tudo, especialmente sua cabeça, suas vísceras e as partes mais duras do seu caráter e obra. Agora você já sabe o meu segredo, tudo que me acontece interminavelmente foi pedido, em oração solene, pelo idiota aqui. O maioral fez questão de me atender e se esmerou nisso.

Além disso, esse texto é a grande revelação completa e detalhada no segundo livro do Antigo Testamento. Ele contém os segredos do arrebatamento, do Dia do Senhor e do Gran Finale do ciclo cristão nesse mundo. Ave Dorcas de Barros e sua vida nas mãos do Divino.

Tempos depois, um especialista em Antigo Testamento dirigiu uma exegese do livro de Êxodo lá na nossa Faculdade de Teologia. Quando terminou o capítulo doze, sem enxergar as revelações de Dorcas, perguntei-lhe se via algo do Apocalipse nesse texto. Depois de pensar um instante, respondeu: Nunca tinha pensado nisso.

21 thoughts on “A Ceia

  1. Lou

    Em muitas culturas as vísceras são consideradas a melhor parte da carne. E não estou falando de culinárias primitivas.

    Os franceses fazem maravilhas com bucho, fígado, rins de vários bichos. O foie gras é um must. Existem regiões especialistas em chouriços (aquele cheio de sangue, não o bife argentino)

    Um dos acepipes mais caros do mundo são ovas. Os judeus tem as melhores receitas de língua que eu conheço (que não é víscera, mas é considerada um “miúdo” e é vendida junto com aquelas outras coisas feias no mercado)

    Claro, aqui na terra brasilis, víscera é comida de pobre (dobradinha, sarapatel, buchada de bode,entre outros). Fígado só é dado para criança como vitamina.

    Tenta entrar aqui em algum restaurante e pedir um bife de fígado ??

    É a diferença que nos é proposta : o maior será o menor e versa-vice.

  2. Fábio
    Boa! Com seu expertise em iguarias você nos brindou com outro prisma que só faz reforçar a tese. Obrigado.

  3. Comer das vísceras, das partes duras e amargas do Cordeiro é o que nos faz mais parecidos com Ele, afinal, do filet mingnon todos gostam.
    É como a cruz, não basta caminhar com ELE, tem que carregar a “ela” ( e essa pesa muito).
    Abraços
    Alice

  4. Alice
    Creio que as partes duras do Cordeiro de Deus estão na frase paulina “andar como ele andou” e passa longe dos dogmas que a igreja estabeleceu. Como diz o Manning, por exemplo, aceitar nosso perdão incondicional e nossa incapacidade para fazer qualquer coisa a nosso favor, diante dele. Isso é duro, pois sofre grande resistência do nosso orgulho.

  5. Grande texto Lou, para ser pensado a fundo e vivenciado. E já que estou liberada para citações, lá vai uma, é de Pessoa:

    “Não conto gozar a minha vida; nem em gozá-la penso. Só quero torná-la grande, ainda que para isso tenha de ser o meu corpo e a minha alma a lenha desse fogo. Só quero torná-la de toda a humanidade; ainda que para isso tenha de a perder como minha.”

    Tenha um ótimo dia!

  6. O Christian gosta demais de bife de fígado.
    Na Grécia, bife de fígado é grelhado e é uma delícia.

    Bem…, quando fiz teológia para entender melhor esse livro da capa preta. Me lembro que o meu professor de filosofia contou uma pequena ilustracao onde Jesus entrava na igreja e ali ele encontrava a primeira mulher. Onde Ele a abracou, a cariciou, segurou suas maos um tempao, sorriu pra ela e só depois a deixou. No meio da igreja Ele encontrou uma segunda mulher, onde Ele a cumprimentou segurando suas maos o tempo todo e uma terceira que Ele nem tocou, mas apenas a olhou e parecia que sorriu prá ela.
    O pastor daquela igreja baseou essa visita de Jesus no seu sermao naquela manha.
    Mas o meu professor pediu que nós que estávamos ouvindo aquela ilustracao escolhêssemos qual mulher nós gostaríamos de ser. E que deveríamos escrever no caderno o porque.

    Amanha volto para te contar o restante. Mas deixo aqui o desafio pra vc. Qual dessas mulher, caso vc fosse mulher vc gostaria de ter sido e por quê?

    Até amanha

  7. Georgia

    Meu porquê, tem a ver com meu proverbial preconceito contra pastores. Quanto mais distância deles melhor. Se eu fosse mulher então, acho que andaria com cinto de castidade. Mas tentando entrar no espírito de sua (de seu professor) ilustração, seria porque essa é a atitude que demonstra confiança. As outras ainda estão nas fases da imaturidade, precisam de carinho, atenção especial e muita paciência.

  8. Em uma de suas Campestres, se não estou enganada, você afirma que o Êxodo tem a ver com o Apocalipse. Fiquei sem entender. Vem daqui, não é?
    Muito a se pensar… nossa. Que aprendamos a comer das partes menos nobres do Cordeiro!
    Uma vez em uma ceia, um pastor, me pediu pra orar. Olhei daqui, olhei dali e pensei, acho que é comigo mesmo. No meio da oração, me veio a vontade de dizer: que realmente comamos do Seu corpo e bebamos do Seu sangue, etc, etc…lembrando do texto Paulino. Naquele momento pensei em que devíamos estar participando da cruz de Cristo verdadeiramente, morrendo com Ele. Eu era muito louca, como seu personagem aqui do Post. Gostaria de lhe perguntar, Lou: sei que o texto apresentado pela Dorcas, é muito rico, como disse você: Ele contém os segredos do arrebatamento, do Dia do Senhor e do Gran Finale do ciclo cristão nesse mundo. Eu particularmente, precisaria de uma explanação mais extensa para entender tudo isso. Agora pergunto, entendendo que o trecho citado pela missionária é muito mais rico e diz muito mais coisas, o que eu tentei colocar em minha oração procede?
    Por quê, não desenvolve um Post sobre Ex.12 pra nos esclarecer?
    Seria muito bom! Please!!

    Bom, a tentativa foi expor um pouco de Êxodo 12. Imagino ter dado o meu melhor. Mais, só com a Dorcas mesmo. Agora, eu sabia que você tinha feito essa oração. Não há grutense sem isso. 🙂

  9. Hummmmmmmmmm,não acho que não saiba mais. Lou, tendo você feito Teologia e entendendo o que a Dorcas quis dizer com sua pregação,poderia bem me dar mais uma explicadinha. Uma parte entendi:a de que devamos aprender a comer das partes menos nobres,isto é, aprendamos a receber o sofrimento, a cruz, as dores,etc… o que não consigo entender porque sou mesmo burra,é: Ele contém os segredos do arrebatamento, do Dia do Senhor e do Gran Finale do ciclo cristão nesse mundo. VÊ SE NÃO APAGA O QUE ESCREVI .Sei que você sabe, mas por quê quer guardar esse segredo só pro cê?

    Ah, bem lembrado, não apaguei nenhum til do que você escreveu. Apenas juntei tudo em um único comentário, para facilitar a vida dos outros leitores.
    Como disse, a questão escatológica é complexa. Mas prometo escrever um pouco mais, quem sabe sobre o arrebatamento, que o texto de Êxodo elucida, se não me engano. Ok?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *