A Gruta do Lou

Culpa Bandida

culpa Culpa Bandida Culpa

A culpa bandida estava dentre as principais razões para decidir deixar a igreja, coisa ocorrida nos idos da década de noventa – pelo menos na qualidade de membro, afinal, quem bebe a água eclesiástica poluída estará eternamente condenado a voar com a capa de super crente – foi haver chegado ao limite máximo suportável da assimilação de culpa.

O número de cenas presenciadas contendo propostas indecorosas coroadas de ameaças e prognósticos geradores de culpa bandida não pode ser mensurado e muito menos transformado em algum tipo de estatística. Só posso afirmar, com certeza, ter acontecido milhares de vezes, ou até, arriscar a dizer: não me lembro de uma pregação, um sermão, um conselho ou uma aula ministrada por pastores e seus lacaios, com a isenção longânima de preceitos culpáveis.

Dia desses, parei para assistir um desses pastores transformistas, agora travestido em pastor de TV pela Internet, e o cara lançou sobre mim, em poucos minutos, mais culpa bandida se comparado aos melhores dias do Tio Cássio. Claro, mudei de canal, digo de site, rapidinho.

Evidentemente, estou culpando os pastores e as igrejas de lançar culpa sobre nós, os fiéis e isso não é bonito. Mas deve ser uma doença horrorosa. Bobeou, tome culpa bandida. Agora mesmo, falei com minha mãe ao telefone e tratei de fazê-la sentir-se culpada. É fácil perceber quando pecamos, a outra pessoa desanda a pronunciar desculpas. Minha mãe octogenária é presa fácil.

Durante um bom tempo, onde me convidassem para falar, anunciava a vinda redentora de nosso senhor Jesus Cristo, sobretudo para aliviar a humanidade da culpa. Em outras palavras, desejava declarar o plano secreto do Mestre, ou seja, nem era tanto o pecado, mas a culpa teria sido a razão principal para todo o ocorrido em sua trágica e curta vida.

Quando decidi refugiar-me na Gruta, buscava um lugar seguro, sobretudo, onde não me imputassem mais culpa alguma. Ao contrário, tratei de cavar buracos com meus textos expiatórios e atirar neles todo o peso adquirido em tempos de militância religiosa. Bom esclarecer, escrevo apenas por mim. Estou bem longe de supor algum tipo de missão profética de minha parte. Estou mesmo praticando exorcismo pessoal e intransferível e a culpa secundária disso é do Brabo, com quem descobri essa necessidade.

Evidentemente, o maior culpado foi o Soren, o Kirkegaard, com o Conceito de Angústia dele, uma das obras mais relevantes conhecidas por mim. Só um aprofundado estudo bíblico, capaz de cobrir os fundamentos da fé judaico-cristã, poderia permitir a concepção de tamanha compreensão verdadeira.

Se houve um ignorante sobre a Terra, esse cara foi Adão, devidamente acompanhado por sua companheira Eva, afinal antes deles, não houve a produção de conhecimento algum. Eles nem mesmo dispunham do entendimento sobre o significado e a diferença do bem e do mal. Quando Deus os instruiu a não comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, cometeu a maior sacanagem da história desse país e de todos os outros, pois eles não faziam a menor ideia sobre o que estava lhes sendo dito. A ignorância gerou o vazio, o vazio trouxe a angústia e ela gerou a culpa. Fantástico.

Se você desejar fazer alguém sentir-se culpado, aí está a receita infalível, faça-a sentir-se ignorante e o resto acontecerá por si mesmo até chegar à culpa bandida, e das boas. Bom, mas você não deve ter a menor ideia sobre o que estou escrevendo.

Então, esse é o grande significado da Gruta e, Elias já praticara o engrutamento lá nos tempos do Antigo Testamento, Jesus achou por bem vir em uma Gruta, de saída. Esse é o verdadeiro depositário final das ideias condenadas à transformação eterna. Não dá para escapar, a Gruta é também, talvez a original, bacia das almas, ou vice e versa, entretanto, mais bíblica, considerando que alguns dos principais eventos bíblicos aconteceram em grutas.culpa Culpa Bandida

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.