A Gruta do Lou

Milagres, discípulos e o povo

111918_0145_Milagresdis1 Milagres, discípulos e o povo

“Deus está acima do domínio mortal. O materialismo não pode ajudar a Deus e Ele não quer. Se o homem tivesse consciência de tudo isso e agisse em consequência, não tardaria em expressar a perfeição.”

“É preciso, absolutamente, a humanidade abandonar o estágio onde se apoia, sob forças psíquicas e mentais. É necessário se expressar diretamente a partir de Deus”

“As forças psíquicas foram criadas exclusivamente pelo homem e naturalmente fazê-lo desviar-se de seu caminho.”

Bard T. Spalding

Jesus Cristo passou aos seus discípulos a missão de fazer discípulos e curar os enfermos de todas as nações. Durante anos, nós lemos essas frases entremeadas nos evangelhos. Depois de reafirmadas pelas cartas dos discípulos e nem por isso nos damos conta completa do significado de tudo isso. Discipular e curar, em outras palavras, fazer milagres naturalmente. Mas milagre virou mito.

Curas e Milagres

Claro, nenhuma religião além de não fazer milagres, deu ao milagre uma importância além da imaginação. Se um cara fizer ou participar de um milagre será transformado em santo, depois de morto, claro.

Por outro lado, talvez a cura seja uma outra modalidade do poder divino. Os milagres poderiam estar em outra modalidade. Por exemplo, o mar abriu-se para o povo judeu atravessar a pé e depois fechou-se para preserva-los, com o afogamento dos exércitos de faraó.

Há muitos outros relatos sobre milagres em campos de batalha. Bastava Moisés levantar o cajado e o inimigo já era. O caso dos exércitos assírios fugindo com medo do campo de batalha ou quando Ezequiel recebeu ordem do Divino para dar vida aos ossos no chamado Vale dos Ossos. Ressuscitar mortos e expulsar demônios está claro na missão determinada por Jesus Cristo. Enfim, curar enfermos é um fenômeno entre outros, mas diverso.

Portanto, muitos “santos” devidamente santificados, talvez a maioria, curaram enfermos. Provavelmente a Igreja não precisava dar-se ao trabalho de santificar quem já era santificado, como bem diz Pedro apóstolo: 16Porquanto, está escrito: “Sede santos, porque Eu Sou santo!” na Primeira carta de Pedro 1:16.

Os santos deveriam mesmo curar, fazer milagres, ressuscitar os mortos, expulsar demônios e muito mais Mt: 10. Entretanto essas práticas foram ficando para trás, com o povo e a própria igreja sucumbindo, totalmente, às milhares de alternativas humanas, principalmente através das ciências humanas em geral.

O Criador tem os humanos na palma de sua mão.

Uma alternativa, já narrada por algum teólogo por aí, é bom lembrar quem criou a raça humana, homem e mulher criou, magnificamente. Depois a humanidade já insana  resolveu fazer algo e inventou várias diversidades bastantes diversas e estranhas, em cima da criação única, como se quisessem desfazer a obra de Deus.

Enfim, Deus conhece o ser humano como ninguém, foi Ele o autor de todos nós e sabe como ninguém quais são nossas dificuldades. Para o povo chegar à Terra Prometida, muitas dezenas de anos se passaram com o povo errando e refazendo. O tempo para Ele é indiferente.

Talvez nós tenhamos ficado sem as curas, milagres, exorcismos, etc., enquanto vagamos no deserto do globalismo humanista e suas maluquices. Então, voltaremos para o Criador e ele nos colocará novamente na direção certa, onde não haverá mais enfermos, endemoniados, guerras, mortes, etc., e muito menos globalismo e humanismo.

111918_0145_Milagresdis1 Milagres, discípulos e o povo

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.