A Gruta do Lou

Cristãos Antropófagos

Cristãos Antropófagos

Ruben Alves defende a antropofagia entre os cristãos.

 

Capricornio PB

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

22 thoughts on “Cristãos Antropófagos

  1. Que coisa mais horrivel!

    Quem é este senhor? (Desculpe a minha ignorância)

    Ele achou bonito os índios comerem os seus mortos!!!?

    Como eu costumo dizer: Bilek!

    (Bilék é uma palavra inventada por mim para traduzir o meu espanto)

  2. Viviana

    🙂 🙂 🙂 Você acabou comigo agora. Eu, todo bem intencionado, achando que havia descoberto a história mais interessante do mundo, contada por um de nossos melhores autores, embora os neo-fundamentalistas não pensem assim, e acabo causando esse espanto todo em você. Peço-lhe desculpas. Mas o importante não é a parte da degustação de carne humana, claro e sim o significado que dá ao rito uma razão profunda de ser, ainda que em nossa cultura não faça sentido algum. 🙂 🙂 🙂

  3. Esse sujeito aí é venerado na igreja metodista, é o são rubem alves dos seminaristas. Embora eu goste das coisas que ele fala e escreve, não gosto dele, mas não consigo explicar o porque, então concluo que é inveja, afinal, os seminaristas deviam gostar de MIM.

  4. Bete

    No meu tempo de seminário liamos e comprávamos os livros dele, mas não contávamos para a maioria de nossos professores e colegas.

    Quanto ao blog travar, pode ter várias razões. Penso que ele está pesado e por isso deixei a música desligada e talvez tire alguma coisa que não está servindo para nada. Espero que ninguém faça a sugestão de tirar meus posts. Uma delas pode ser o template, o que me obrigaria a mudar novamente. Vamos ver.

  5. Lou, quando eu morrer pode ficar com os meus rins, os franceses tem receitas maravilhosas de rins com Calvados (um conhaque da Bretanha, feito de maçã)

    Quanto ao Rubem Alves…o problema dele, na minha opinião, é que quando ele acha uma idéia brilhante (ele tem algumas) ele a usa durante tempo e livros demais…parece uns autores de auto-ajuda que eu conheço.

  6. Fábio

    Mais provável a minha partida do que a sua e pretendo levar tudo comigo. Nesse ponto, Deus acertou em não ter me enviado para cá como um dos Yanomamis. Seria um último pecado manter-me vivo, ainda que na barriga do povo. Em mim, nada se aproveita. Mas não me ponham com os vermes, por favor. Minha mortália escolhida é o crematório. Não quero correr o risco de continuar contaminando o mundo com minha presença, de forma alguma. Sem falar na possibilidade de ser verdade aquele negócio de renascer e ter que voltar com esse corpo outra vez. Morro de medo disso.

    Agora o Ruben Alves, a quem admiro por diversas razões, a meu ver, morde o rabo e bebe o próprio veneno. Em uma entrevista à Ana Maria Braga ele declarou-se um professor que conversa sem planos prévios. Quem não sabe para que porto vai, não deveria atirar-se ao mar. Fui um professor polêmico, desses que ninguém voltará a convidar ao trabalho, mesmo porque não tenho as qualificações necessárias, o que não é o caso do Ruben, mas nunca entrei em uma sala de aula sem um plano detalhado. Apenas modifiquei o método, de exposição para debate, do professor sabe tudo, para o aluno que pensa e trabalha suas idéias. Mas as vítimas não estavam preparadas e me dei mal.

  7. olá,

    não entendo mas a minha paciência é curta para o óbvio. parecia que ele falava com primatas incultos, seres que nunca estudaram o canibalismo em sua forma mais poética.

    prefiro ainda seus escritos. ao vivo o ruben alves perde aquela leveza nas palavras quase sonolenta.

  8. Filipe

    Agradeço seu comentário e presença.

    A simples menção do termo “canibalismo” cria barreiras à compreensão, a meu ver. Achei interessante compartilhar o vídeo, por aqui, por causa da poesia e do valor cultural. Embora tenha gostado de ler opiniões diversas e até as manifestações menos, digamos, cultas. Gosto da diversidade e das alterações que vão do saber à completa ignorância. Gostei de ver sua opinião por aqui, também. Obrigado.

  9. Nota para mim mesmo: nunca dar entrevistas ou palestras, especialmente se forem gravadas em vídeo.

    Absolutamente todos os escritores são mais interessantes na página escrita.

  10. Paulo

    Especialmente aqueles que não nasceram para esse tipo de mídia. Velhos, carecas e com barriga saliente, não tem qualquer chance. Inclusive, porque esses itens interferem na mensagem, diretamente. Na entrevista que o R. Alves deu à Ana Maria Braga, ele ficava abaixando a cabeça e colocando a mão na boca e eu só conseguia prestar atenção nisso.
    Ao me ver em vídeo, não consigo me deter em minhas palavras, minha atenção fica presa nas caretas involuntárias que costumo fazer. Mas não posso ser referência nesse tema, devido à certas excentricidades, como gostar do bizarro. Me adorei no vídeo, porque poucas vezes vi algo tão bizarro. Nem o Chaves me supera, em minha opinião, dou gargalhadas sem parar com esses caras, como eu.
    Confesso minha perversidade em colocar-me em vídeo, às vezes, aqui na Gruta. A intenção é levar o povo a rir, não tanto pelo que falo, mas com a minha figura grotesca. Evidentemente, falo provocações para causar alguma reação. Caso contrário a caixa de comentários permaneceria no zero. Você sabe como é.

  11. Oi Lou, valeu pelo Post!

    Oi Paulo,

    discordo de você caro amigo. Gostei muito de ver “quem é” o Rubem Alves. E vi um vídeo do Yancey que adorei.
    A explicação para a divergência seria então que ainda não conheço o suficiente da obra desses dois caras…

    Embora, digamos também que, como o vídeo da TV Gruta seja tão interessante quanto os escritos dela. Seria legal um dia me surpreender com uma palestra via vídeo da Bacia, salvo engano.

    Abraços bem fraternos,

    Roger
    PS: Enquanto vocês estão vivos nos contentamos em devorar somente os escritos vossos.

  12. Roger

    Agradeço a parte dedicada à Gruta e à minha pessoa.

    Se você me permite, tenho a sensação de transferir para mim a vergonha que as outras pessoas estão passando e parecem não perceber. Não sei se o sentimento do Brabo é esse. Daí a conclusão é obvia, melhor não fazer o que ele fez ou faz.
    Meus filhos costumam me dar esse tipo de feedback. Percebo-os envergonhados com minha atitudes. Não sei se você sabe, mas eles escondiam os problemas que tinham (poucos) na escola, pois tinham mais vergonha do que eu poderia fazer em defesa deles do que dos problemas em si. Geralmente, minha conversa com o diretor ou com os orientadores atraia platéias. Acho que era meu charme conhecido.

  13. brabo: de fato, mas há exceções. o problema é conseguir superar tamanha simplicidade das palavras [escritas] de ruben alves, e os tapas na cara também.

    lou: bom seu blog, leio-o constantemente. não me referi na verdade à postagem em si, mas aos argumentos do ruben. percebo que, não necessariamente vinculado ao meio religioso ou místico, ainda é necessário explicar minuciosamente o ato canibal (aliás um termo que aprecio, já que vai “direto ao ponto”) não como animalismo, mas como reverência.

    vídeos do estilo são excelentes para mais uma repensada no assunto.

    abçs

  14. Filipe

    De qualquer forma, serviu para balizar melhor as coisas. Talvez os blogs sejam um fórum legal para passar algo mais do que mero feijão com arroz e possamos cuidar melhor de nossas teses, sem perder a humildade, lógico.

  15. Boa tarde

    Chegando agora e já dando opinião.
    Humm, comparar ritual antropofágico e eucaristia parece meio forçado.
    E outra coisa: não recomendo a minha carne – muito teor de gordura e colesterol !!

    Parabéns pelo blog.

    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.